Spin | Mudando a imagem do Treinamento
A Spin Design é uma consultoria de treinamento e desenvolvimento empresarial que utiliza o DESIGN como ferramenta fundamental para desenvolver material para treinamento e ajudar empresas a educarem seus colaboradores, prospects e clientes sobre produtos, processos e estratégias.
consultoria de treinamento empresarial, treinamento empresarial, consultoria de treinamento e desenvolvimento empresarial, Cursos presenciais, consultoria de educação corporativa, Treinamento e Desenvolvimento empresarial, materiais capacitação empresarial, Infográfico e design de informação, Learning by design, Spin Design, Animações para treinamento, Educação profissional, Apresentações Institucionais e de treinamento, material para desenvolvimento empresarial, material para treinamento empresarial, educação empresarial, material para treinamento, design, cursos e-learning, desenvolvimento de cursos, Treinamentos presenciais, Multiplicação de treinamento, Cursos online, Desenvolvimento de treinamento, Trilha de aprendizagem, Microlearning, Pilulas de treinamento, Treinamento para gerentes, Treinamento para vendedores, Treinamento de vendas, Treinamento para varejo, treinamento para loja, Desenvolvimento de gerentes, desenvolvimento de vendedores , Treinamento de integração, Treinamento para indústria, Desenvolvimento integração para novos colaboradores, capacitação, Treinamento e Desenvolvimento, melhoria de performance, desenvolvimento humano, consultoria treinamento empresarial
1273
single,single-post,postid-1273,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-9.1.3,wpb-js-composer js-comp-ver-4.7.4,vc_responsive
boring-meeting1_OK

14 ago Mudando a imagem do Treinamento

Quantas vezes você já ouviu dizer que treinamento é uma perda de tempo? Que é muito “blablabla” para pouco resultado efetivo?

Pois é! Infelizmente essa é a realidade dos treinamentos convencionais nos dias de hoje e é fácil entender as razões – na maioria dos treinamentos a didática nem sempre é a mais indicada e os facilitadores não estão preparados.

DIDÁTICA

Ao pensarmos em didática, geralmente vemos textos corridos inundando todo o slide, com fotos mal posicionadas, talvez mal escolhidas, além dos conteúdos mal trabalhados.

Fica clara a falta de um bom design instrucional para estudar o conteúdo e transformá-lo para que seja passado de forma simples, clara e interessante a aqueles que irão assisti-lo. Como?

Os textos corridos devem tomar a forma de tópicos, tabelas, imagens, esquemas e o que mais a imaginação e a criatividade pode permitir. Deve-se deixar claro que, a escolha de qual o método a aplicar tem que estar dentro do contexto do que quer ser passado. Nesse ponto, fotos aleatórias só para preencher os espaços vazios dos slides não são as melhores escolhas. Lembre-se: Menos é mais! A limpeza dos slides, além de ser melhorar a sua visualização, cansa menos aos seus espectadores.

O treinamento deve ter momentos de diversão! Sim!!! Ele deve ter momentos lúdicos que tornem a experiência mais “light” para quem vai assistir. Afinal, para manter o interesse de um grupo de pessoas por um dia inteiro (ou dias) divertir é preciso.

Outra técnica interessante é a aplicação de atividades e jogos que transformam o aprendizado em algo mais interativo e participativo. Novamente, a escolha dessas ferramentas não pode ser aleatória. Um vídeo apresentado, por exemplo, tem que ter relação com o conteúdo e ser discutido com o público. Fique sempre atento, as vezes um mesmo vídeo pode ser trabalhado de diversas formas, mesmo as não esperadas pelo facilitador previamente e esta é justamente a riqueza da troca que ocorre num bom treinamento.

O FACILITADOR

Para que tudo isso ocorra, o facilitador é um ponto crucial na apresentação de um treinamento. Ele deve estudar seu conteúdo e conhecer o público para o qual vai apresentar, afinal um mesmo conteúdo pode ser apresentado de formas distintas dependendo de quem irá assistir.

Não há necessidade de ler integralmente os slides, no universo corporativo quase sempre os treinandos são alfabetizados e podem ler sozinhos. O que se espera de um facilitador é a habilidade de partir do que está exposto no slide e aprofundar, detalhar, perguntar… aliás, sempre que puder, pergunte opiniões, verifique entendimento e estimule a participação de todos.

Juntando o Design Instrucional com uma preparação adequada, treinamento a treinamento vamos mudando a percepção das pessoas e construindo um mercado de Educação Corporativa cada vez mais competente.

3 Comments
  • Renato Gangoni
    Posted at 19:56h, 14 agosto Responder

    Um design instructional bem feito facilita bastante a vida do facilitador principalmente se o train the trainer for bem feito.
    Um facilitador bem preparado facilita a percepção de um bom treinamento principalmente se os objetivos estiverem esclarecidos no desenvolvimento do projeto

  • Maria Lemos
    Posted at 00:30h, 25 novembro Responder

    Não consegui entender nada, por que razão é tão complicado ” train the trainer bem feito???”
    “Design instructional” (engenharia pedagogica ou gestão de projetos)por que nao pode ser mais “soft” esta linguagem!!!

    • Spin
      Posted at 18:21h, 25 novembro Responder

      Oi Maria Lemos, estes termos que você citou são bem comuns na área de educação corporativa e de fácil entendimento para as pessoas que com ela se relacionam.
      Somos pela simplicidade assim como você, mas todo mercado tem seus jargões e termos particulares, e eles ajudam a comunicar alguns conceitos de maneira mais rápida – por isso os utilizamos.
      De todo modo, sempre estamos dispostos a melhorar e assim sendo ficaremos atentos para tornar nossos textos ainda mais acessíveis nos próximos.
      Obrigado pelo seu feedback.

Post A Comment